jump to navigation

O sonho da casa própria Maio 29, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
add a comment

credito-habitacao

No Brasil, a exclusão social se mostra das mais diversas formas. São pessoas que não têm acesso à educação de qualidade, à saúde eficaz, e a falta de moradia é mais um problema enfrentado pela população de baixa renda. Ter um lugar digno para morar é uma questão básica e possibilitar isso ao ser humano é garantir também sua cidadania. Como alternativa para amenizar a situação, existem projetos habitacionais que proporcionam às famílias de baixa renda a possibilidade de adquirirem a casa própria. A medida é importante, pois quandoo se tem acesso a um lugar digno para viver, a população acaba recorrendo às favelas ou a outras zonas de risco. Quem é que não sonha com a casa própria? Mas todos nós sabemos o quanto é difícil conseguir o dinheiro para adquirir o tão sonhado lar. De acordo com a Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação, o Governo Federal, através da Caixa Econômica, mantém ativos três milhões de contratos de financiamento habitacional, fora outros quase um milhão administrados pelos bancos privados. Recentemente o governo federal lançou o projeto habitacional Minha Casa, Minha Vida que pretende construir um milhão de moradias nos próximos anos para população que ganha até 3 salários mínimos.

O Brasil sempre teve problemas habitacionais. Esses problemas são resultados de crescimento acelerado, falta de recursos, economia ou distribuição de renda inadequada?

Preservação da Mata Atlântica Maio 27, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
add a comment

01

A mata atlântica originalmente percorria o litoral brasileiro de ponta a ponta. Estendia-se do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, e ocupava uma área de 1 milhão e 300 mil quilômetros quadrados. Tratava-se da segunda maior floresta tropical úmida do Brasil. O grande destaque da mata original era o pau-brasil, que deu origem ao nome do nosso país. O pau-brasil hoje é quase uma relíquia, existindo apenas alguns exemplares no Sul da Bahia. Atualmente da segunda maior floresta brasileira restam apenas cerca de 5 % de sua extensão original. Em alguns lugares como no Rio Grande do Norte, nem vestígios. Hoje a maioria da área litorânea que era coberta pela Mata Atlântica é ocupada por grandes cidades, pastos e agricultura. Porém, ainda restam manchas da floresta na Serra do Mar e na Serra da Mantiqueira, no sudeste do Brasil. A Mata Atlântica é um dos Biomas mais ricos em biodiversidade do mundo e também o segundo mais ameaçado de extinção. A conservação da Mata Atlântica é um desafio. A Mata Atlântica é hoje responsável por quase 70% do PIB nacional, abriga mais de 60% da população brasileira, e possui as maiores extensões dos solos mais férteis do países. Para a Mata Atlântica muitas prioridades de conservação são conhecidas, mas há ainda uma tarefa importante a fazer, que é de traduzir estas prioridades para uma linguagem comum e em um esforço conjunto para sua efetiva conservação.

Quem são os grandes destruidores da Mata Atlântica?

Como lidar com a dor Maio 26, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
add a comment

dor

A dor afeta pelo menos 30% dos indivíduos durante algum momento das suas vidas e representa 80% das razões da busca por atendimento em serviços de emergência. Licenças de saúde, litígios trabalhistas além das aposentadorias precoces formam o cenário do relevante impacto sócio-econômico que a dor representa para o Brasil e o mundo. A incidência da dor crônica no mundo oscila entre 7% e 40% da população e, como conseqüência, cerca de 50% a 60% destes pacientes tornam-se parcial ou totalmente incapacitados, de maneira transitória ou permanente, comprometendo de modo significativo a qualidade de suas vidas. Estes fatos motivaram a Organização Mundial da Saúde a considerar a dor como uma “Emergência Médica Mundial”. O pilar fundamental do tratamento adequado da dor é a pesquisa da possível causa através do exame clínico e dos complementares. A prevenção da dor crônica, que é aquela com duração maior que 6 meses, se faz através do eficiente tratamento da dor aguda. Nos casos da aguda, a remoção da sua causa, o uso de analgésicos orais aliados à fisioterapia e/ou psicologia são suficientes para o controle. Os casos de dor crônica necessitam da ação multidisciplinar integrada de profissionais e apresentam tratamento mais prolongado, de alto custo e com resultados, em sua maioria, abaixo das expectativas dos pacientes e profissionais. O alerta maior a ser enfatizado se relaciona à automedicação, porque ela pode mascarar doenças como infecção e câncer.

Compensa treinar o funcionário? Maio 21, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
add a comment

01

Todo ano acontece a mesma coisa. Na véspera de datas comemorativas como: dia internacional da mulher, dia das mães, dia dos namorados, dia dos pais, as indústrias preparam-se para atender o comércio. Todo o comércio passa a enfeitar os estabelecimentos com temas das datas comemorativas em questão. Fica tudo muito lindo e todos com muitas expectativas de obterem resultado superior ao ano anterior. O mais importante de tudo normalmente é esquecido. As datas comemorativas sempre existirão, porém, seus clientes poderão deixar de voltar caso suas expectativas também não sejam atendidas e superadas. Produtos bonitos, variados, com qualidade, preço atraente e bom crediário nem sempre são determinantes para realizar as vendas. O bom atendimento também é muito importante. Devemos lembrar que os clientes satisfeitos provavelmente retornarão, porém os insatisfeitos com certeza evitarão passar por mais um momento de insatisfação. Satisfazer um cliente não é necessariamente vender por um bom preço, como muitos acham. É saber valorizar o interesse, idéia, opinião e desejo do cliente pelo produto ou serviço.

Uma empresa pode fracassar por falta de treinamento e experiência de seus funcionários?

Consumo consciente dos alimentos Maio 20, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
add a comment

01

O consumo consciente de alimentos pode sim fazer a diferença na manutenção da saúde de uma pessoa. Ao ingerir uma quantidade adequada de cada grupo alimentar, é possível fornecer ao organismo mais resistência e ainda, evitar possíveis doenças. Especialistas afirmam que o cardápio do brasileiro está muito longe de ser o ideal. Dentre todos os alimentos consumidos, cerca de quarenta por cento é constituído por gordura. Na hora de escolher o que comer, o brasileiro opta pelo sabor e não pela saúde. A alimentação não deve ser imposta como um cardápio fixo, sem alterações. Deve ser o conjunto bem organizado de alimentos saudáveis, que dão prazer e estão culturalmente ligados ao indivíduo. A educação alimentar tem como objetivo, construir uma alimentação saudável, sem deixar de lado o que faz parte da cultura de cada indivíduo. Há muito tempo os especialistas discutem os hábitos alimentares do brasileiro. Apesar de concordarem que a população está mais consciente dos benefícios de uma dieta rica e balanceada, estatísticas mostram que, na prática, as pessoas ainda estão longe de uma alimentação saudável.

O vilão do ensino Maio 19, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
add a comment

01

Apesar de a evasão escolar ainda ser um problema no ensino fundamental, o número de alunos que abandonam o ensino médio chama mais a atenção. Segundo o censo escolar 2005 do Instituto Nacional dos Estudos e Pesquisas Educacionais, 16% dos estudantes de escolas públicas que terminam o ensino obrigatório não chegam a se matricular no ensino médio. E dos que se matricularam, 18% não concluíram os estudos. A estabilidade da evasão escolar no ensino obrigatório também está associada a questões como a progressão continuada e as políticas públicas de assistência. Mas após o término do ensino fundamental ou quando o aluno atinge a idade de 15 anos, a família já não pode mais contar com o auxílio do Bolsa Família. Este adolescente é considerado apto a trabalhar sem que isso seja considerado exploração do trabalho infantil. Essa idade coincide justamente com a época em que o aluno termina o ensino obrigatório. E a partir daí, surgem dificuldades em conciliar o trabalho e os estudos. Uma pesquisa realizada pela Unesco constata que a maior parte das políticas públicas voltadas para juventude contemplam crianças e adolescentes de até 17 anos. Outros responsáveis pela queda de matrículas no ensino médio regular são a Educação de Jovens e Adultos, a EJA, e o ensino profissionalizante. A procura pelo ensino técnico profissionalizante cresceu 10,6% em 2005. Já a EJA, apesar de ter apresentado um decréscimo de 1,8% nas matrículas no ano passado, também absorve parte dos alunos que procuram por um ensino médio com duração mais curta, de 2 anos ou menos, cuja oferta maior é no período noturno. É importante lembrar que esse decréscimo é relativo devido ao grande aumento de matrículas na EJA nos anos anteriores. Mas as turmas de EJA também apresentam alto índice de evasão. Os alunos trabalhadores, às vezes, começam os estudos e depois se cansam, acham que começam a gastar muito com transporte, às vezes mudam de emprego, passam a trabalhar à noite. A pesquisa da Unesco ainda reforça que a diferença social interfere nos sonhos dos alunos do ensino médio. Enquanto os estudantes da escola privada estão preocupados com o vestibular, os da pública se ocupam em arrumar emprego ao terminar o ensino médio.

Quem são os culpados pela evasão escolar?

Acabou o sono, e agora? Maio 18, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
2 comments

02

O sono é um período de descanso para o corpo, sendo fundamental para as suas funções biológicas. É uma atividade noturna e seu tempo de duração varia de pessoa para pessoa, sendo de maior duração na infância, diminuindo com a idade. Frequentemente a diminuição do tempo de sono, que ocorre normalmente na terceira idade, é confundida com insônia ou qualquer outro distúrbio de sono. O sono satisfatório é a sensação de noite bem dormida, independente do tempo dormido. Algumas pessoas dormem somente duas horas e tem sono satisfatório. A falta de sono, por sua vez, leva à fadiga, irritabilidade, e a problemas de memória. Há vários distúrbios do sono, como a sonolência excessiva, o sonambulismo, e o terror noturno, mas a insônia é o mais importante. A insônia é uma situação muito freqüente, e o seu diagnóstico correto é fundamental na escolha da terapia. Caracteriza-se pela dificuldade para dormir, tanto no que diz respeito ao inicio do sono, como também à sua duração, propiciando uma sensação de noite mal dormida com cansaço ao acordar. Na terceira idade a duração do sono tende a diminuir e também a tornar-se mais interrompido, sem que seja caracterizada a insônia. Na insônia nunca há a sensação de noite bem dormida ao se acordar ou sono satisfatório.

O cotidiano conflitante contribui para a insônia?

Orientação vocacional Maio 15, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
add a comment

02

Assustados, confusos, indecisos. É assim que muitos jovens se sentem na hora de escolher sua profissão, às vésperas das inscrições para os vestibulares. Aquela certeza desde pequeno do que se vai ser quando crescer não existe mais. Surge o medo de não dar certo. E a angústia aperta mais diante do variado leque de alternativas de curso superior. São mais de 150 e, a cada dia, surgem novas opções de carreiras e de oportunidades de trabalho. O que fazer? Esse turbilhão de dúvidas não deve ser encarado como um problema grave. Especialistas garantem que a insegurança diante da escolha profissional é um sintoma saudável e produtivo. Com vários caminhos abertos à sua frente, o indeciso tem maiores chances de escolher melhor do que quem apóia sua certeza em fantasias. Por isso, recomenda-se que essa fase da vida seja enfrentada com tranquilidade pelos jovens e sua família. Afinal, toda decisão pressupõe incertezas e uma dose de risco. E esse é o primeiro grande desafio do jovem diante do novo e do desconhecido.

Balanço da nova lei de estágio Maio 14, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
add a comment

01

A Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008, conhecida como Lei do Estágio, normatizou as condições de trabalho dos estudantes e definiu o caráter educativo da atividade. As dúvidas de estagiários, professores e profissionais sobre o cotidiano das atividades, como o direito a férias remuneradas e vínculo empregatício, foram reunidas em uma cartilha, distribuída gratuitamente pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Além da norma jurídica, a cartilha contém 37 perguntas e respostas, com esclarecimentos sobre a lei e explicações sobre o papel do professor no estágio supervisionado. O documento situa a atividade no mercado de trabalho e esclarece que o estágio não caracteriza vínculo de emprego, observados os requisitos legais. A lei define também limites para a atividade, caracterizada anteriormente pela sobrecarga de responsabilidades e ausência de regulamentação. A jornada de trabalho dos estudantes, por exemplo, passa a ser de no máximo quatro horas diárias para alunos de educação especial e dos anos finais do ensino fundamental e de seis horas diárias para estudantes dos níveis superior e médio. A Lei do Estágio vale para a administração pública, empresas privadas e profissionais liberais de nível superior registrados em conselho.

Investir no estágio é investir no futuro do Brasil?

Problemática dos planos de saúde Maio 13, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
add a comment

03

Mudar de plano de saúde levando consigo as carências já cumpridas é o princípio da portabilidade de carências dos planos de saúde, regulamentada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar por meio da Resolução Normativa nº 186 de janeiro de 2009. A medida entrou em vigor a partir de 15 de abril de 2009 e os beneficiários de planos individuais de assistência médica com ou sem odontologia e de planos exclusivamente odontológicos contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98, já estão aptos a exercer a portabilidade de carências. O projeto de mobilidade com portabilidade de carências faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal – PAC da Saúde e é considerado pela Agência Nacional de Saúde como importante instrumento de estímulo à concorrência no mercado de saúde suplementar, permitindo que os consumidores tenham mais liberdade de escolha. Esses usuários são 14,4% do total dos 52 milhões de brasileiros que têm plano de saúde. Para pedir a transferência para um novo plano é preciso fazer parte do antigo há pelo menos dois anos. Também tem que estar em dia com a mensalidade. O período para fazer a mudança é restrito: ela só pode acontecer entre o mês de aniversário do contrato e o seguinte. Ou seja, apenas dois meses a cada ano. É preciso que o plano escolhido tenha as mesmas características do antigo. A operadora de saúde é obrigada a aceitar o cliente que cumprir todos os requisitos no prazo de até 20 dias. Se a empresa não der uma resposta para o consumidor neste período, ele será considerado aceito automaticamente. Mas, é importante ressaltar que a portabilidade vale apenas para os consumidores que têm planos de saúde individuais e familiares. No entanto, hoje no Brasil, a maioria dos planos é coletiva.

Quais são as principais reclamações dos consumidores com relação aos serviços prestados pelas operadoras de planos de saúde?