jump to navigation

O perigo dentro de casa Junho 25, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
trackback

acdomesticos

Pode ser uma panela com o cabo virado para fora, um piso molhado e escorregadio, um fio fora do lugar ou um produto de limpeza guardado inadequadamente. A nossa casa, conhecida como o ambiente mais seguro, está sujeita a se tornar o lugar mais propenso a acidentes. Isso se dá quando pequenos detalhes, organizados de forma errada contribuem para que crianças e adultos sofram traumas que podem ser leves ou com sequelas graves. O trauma é a principal causa de morte em crianças e adultos jovens, e um dos maiores problemas de saúde pública mundial. Quando há sobrevida, as seqüelas temporárias ou permanentes têm um índice elevado. Os acidentes, ou lesões não-intencionais, representam a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil. No total, cerca de 6 mil crianças até 14 anos morrem e 140 mil são hospitalizadas anualmente segundo dados do Ministério da Saúde, configurando-se como uma séria questão de saúde pública. Estimativas mostram que a cada morte, outras quatro crianças ficam com seqüelas permanentes que irá gerar, provavelmente, conseqüências emocionais, sociais e financeiras à essa família e à sociedade. De acordo com o governo brasileiro, cerca de R$ 63 milhões são gastos na rede do SUS. A boa notícia é que estudos mostram que pelo menos 90% dessas lesões ou acidentes domésticos poderiam ser evitadas com atitudes de prevenção!

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: