jump to navigation

Tem emprego para todos? Agosto 3, 2009

Posted by 50minutos in Em debate.
trackback

045__Carteira_de_Trabalho

Nada cai do céu, cada pessoa que tem um sonho na vida ou um desejo deve correr atrás e fazer o possível para se destacar e se manter na posição no que realmente quer. Com estudo e bastante conhecimento já é difícil entrar no mercado de trabalho, imagine sem tudo isso? Quanto mais você estuda mais chances terá de arrumar um trabalho bom e se destacar no mercado de trabalho. É aquela coisa, você não vai atrás do emprego, mas sim ele que vem até você, a partir daí é só se dedicar e estar sempre atualizado, para que ninguém passe a sua frente, assim conseguindo os melhores empregos disponíveis. Muitas pessoas falam que hoje encontrar emprego é muito difícil, porém não é impossível. Para encontrar um bom trabalho é se esforçar, mostrar a sua capacidade e ir em frente. Há uma grande diferença em desejar um trabalho baseado naquilo que você gosta, do que apenas trabalhar em qualquer área. Se você quer apenas um bico, algo para apenas levantar uma graninha, qualquer coisa serve, então não há tanta dificuldade em encontrar alguma coisa, mas se você já escolheu sua profissão, já sabe que vai ter que correr muito mais. O mercado de trabalho realmente é cruel, e não oferece muitas vagas, mas de uma coisa é certa, quando uma pessoa realmente se especializa, ela garante uma boa vaga. Inspirado em modelo europeu, o seguro-desemprego foi criado em 1986, durante o Plano Cruzado, como um dos programas sociais do governo do então presidente da República José Sarney. Depois foi garantido pela Constituição de 1988, que consagrou o direito à proteção social do trabalhador em situação de desemprego involuntário. O seguro-desemprego atende aos trabalhadores demitidos sem justa causa, que tinham emprego formal até os últimos seis meses antes de solicitarem o benefício. O seguro tem duração máxima de cinco parcelas, mas pode ser ampliado em casos de crises que causem desemprego em massa. O objetivo é garantir uma renda mínima temporária ao trabalhador desempregado para que ele possa manter-se dignamente enquanto procura um novo emprego. Em 1990, o Congresso Nacional criou o Fundo de Amparo ao Trabalhador, o FAT, definindo-o também como fonte pagadora do seguro-desemprego. Com isso houve ampliação de sua cobertura e melhoria no valor do benefício. O seguro-desemprego atende, em média, a mais de quatro milhões de trabalhadores brasileiros, garantindo uma renda mínima nos períodos difíceis nos quais o trabalhador busca uma recolocação.

O que explica o desemprego hoje: a crise ou a falta de profissionais especializados?

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: